4 dicas para o sucesso de gestão de pessoas

Todo empresário, gestor ou líder no geral deve saber como é importante ter colaboradores engajados. Porém, poucos são os que dominam realmente a gestão de pessoas a ponto de garantir que os resultados sejam atingidos.

De fato, lidar com o ser humano é algo bastante complicado, razão por que qualquer descuido pode acabar gerando distanciamento e apatia. Ou seja, o funcionário não necessariamente vai se manifestar, mas talvez já não esteja tão envolvido.

Em alguns casos, é mais fácil interpretar esse nível de envolvimento, como uma empresa de venda de máquinas copiadoras, já que ali o resultado do colaborador é facilmente mensurável, por se traduzir em números de vendas.

Provavelmente, enquanto ele estiver vendendo bem, é sinal de que está empolgado com seu trabalho e satisfeito com as condições apresentadas. Contudo, nem sempre é assim que acontece, de modo que às vezes a liderança fica às cegas.

Sendo que nos casos em que uma comunicação básica não está bem solidificada, ou seja, os membros da equipe nem sequer se sentem à vontade para tratar de sua satisfação ou insatisfação, fica ainda mais difícil falar em gestão de talentos.

O problema de tudo isso é que hoje o mercado vive um de seus momentos de maior concorrência. Se abrimos um buscador na internet e escrevemos algo como contratação de serviços terceirizados, o que encontramos?

Provavelmente, milhares de resultados em poucos segundos, muitos deles com a geolocalização da plataforma, o que indica quais são as empresas que estão mais próximas de nós, facilitando na hora de fazer o contato e contratar os serviços.

Nesse cenário, a marca que quiser se destacar ou mesmo sobreviver, vai precisar de diferenciais, os quais começam no material humano. Isto é, nas pessoas, na gestão dos colaboradores e dos talentos específicos de cada um.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui dicas para o sucesso da gestão de pessoas, como algo em que todo gestor, tutor, gerente ou mentor no geral precisa dominar, sob risco de comprometer a missão da empresa.

O mais interessante é que hoje esses conceitos e conselhos evoluíram tanto que já podem ser aplicados a qualquer segmento, seja para prestar serviços como o da empresa terceirizada de motoboy ou para vender produtos.

Onde quer que haja uma equipe focada em obter algum sucesso, ali será preciso que um líder saiba fazer a devida gestão de pessoas e talentos. Portanto, se você quer entender como isso funciona na prática, basta seguir adiante na leitura.

O que é e como funciona?

Como vimos, o conceito de gestão de pessoas é algo bem mais amplo do que algumas dicas de comunicação, ou do que gatilhos na hora de fazer reuniões.

Trata-se de uma tendência que vem crescendo a cada ano que passa, como algo profundamente enraizado no conceito de cultura organizacional ou corporativa.

A verdade é que hoje as maiores marcas do mundo já não pensam que sua maior riqueza esteja nos cofres ou nas contas bancárias, mas sim entre seus funcionários.

Não se trata de uma visão romântica, mas do fato de que é o capital humano o que garante não apenas a subsistência de uma marca, mas também sua sobrevivência no mercado, especialmente no sentido de que sem inovação nada acontece.

Agora, imagine uma agência que lida com projetos de comunicação visual, de onde é que vêm não só as inovações, mas todos os resultados? Sim, dos colaboradores, pois é impossível que os donos, sócios ou diretores façam tudo sozinhos.

O grande segredo está na capacidade que eles precisam ter de saber delegar e horizontalizar a missão, a visão e os valores da fundação da marca. Esse é o conceito de gestão de pessoas e talentos, o que pode envolver pontos e desafios como:

  • Motivação pessoal e coletiva;
  • Definição de metas e objetivos;
  • Processo seletivo e recrutamento;
  • Fornecimento contínuo de feedbacks;
  • Prática da igualdade de condições;
  • Capacitação e treinamento individual;
  • Trabalho interativo e em equipe.

Além de tudo isso fomentar a criatividade, a inovação, o engajamento real e a participação sincera dos funcionários, ainda traz resultados imediatos indispensáveis, como uma baixa taxa de turnover, que é a entrada e saída de colabores.

Ou seja, os benefícios e vantagens da boa gestão não se limitam apenas ao longo prazo ou a questões subjetivas e abstratas, mas envolvem também o imediato e até a receita ou lucratividade de qualquer empresa.

1. O poder da comunicação

Engana-se muito quem pensa que somente o RH (Recursos Humanos) e o DP (Departamento Pessoal) estejam ligados à gestão de pessoas e talentos em uma empresa.

É claro que tudo começa com um bom recrutamento, pois de nada adianta tentar trabalhar pessoas sem perfil, que não servem para a vaga nem estão interessadas em nada.

Mas isso é motivo para unir os gestores de cada setor com os do RH e do DP, e não razão para criar um abismo entre eles, exigindo que cada um entregue seu resultado sem considerar a sinergia que existe entre os departamentos.

Aí é que entra o papel revolucionário da comunicação, como modo de tornar a cultura mais horizontal e participativa. No caso de uma fábrica de uniforme social feminino, isso pode ir da diretoria até os cargos mais operacionais.

Afinal, quando o colaborador percebe que a cultura organizacional realmente é intermediada pela comunicação e racionalidade, ele próprio se torna mais participativo, trazendo feedbacks, informações e dados muito ricos para a evolução de processos.

Desse modo, a comunicação vai muito além de fazer uma ou duas reuniões por semana. Elas também são importantes, mas é preciso perceber que o problema começa bem lá atrás, de modo que resolvê-lo antes garantirá o sucesso das próximas etapas.

2. A importância da formação

Hoje em dia, é muito comum ouvir falar em hard skills e soft skills, que nada mais são do que habilidades objetivas e habilidades subjetivas, respectivamente.

Por exemplo, um funcionário que vai fazer instalação de molduras de gesso precisa ter um domínio técnico desse serviço, o que é uma hard skill. Já a pontualidade com a firma e a gentileza com os clientes são exemplos de soft skills.

O que uma boa gestão de pessoas e talentos precisa fazer é equilibrar esses dois pontos. Primeiramente, a formação começa com o líder, que pode (e deve) fazer cursos na área de relações humanas, para aprender o aspecto psicológico de um ambiente de trabalho.

Depois, é fundamental que os funcionários estejam sempre reciclando suas habilidades, tanto as mais técnicas quanto as mais sutis e pessoais.

Além disso, quando a empresa investe na formação do colaborador ele percebe que é valorizado, gerando um engajamento real e positivo que vai impactar diretamente nos resultados práticos, trazendo um serviço mais bem-feito.

3. Por dentro da inteligência emocional

Quando se fala em inteligência, logo imaginamos a capacidade de lidar com números ou decorar informações. Entretanto, essa é uma função apenas, ligada à inteligência racional, que nem de longe é a única ou a mais importante.

Graças a uma publicação de um redator do New York Times chamado Daniel Goleman, feita em 1995, o universo corporativo descobriu a existência e importância da Inteligência Emocional, que hoje é fundamental para a gestão de pessoas.

Imagine o dia a dia de uma empresa de mudanças, que lida com equipes grandes, prazos justos e vários itens e bens valiosos de seus clientes. Ter uma destreza para não quebrar nada é importante, mas e a comunicação interna e externa da equipe?

O que Daniel Goleman provou é que, na verdade, as hard skills que citamos acima são apenas a base de formação para um bom funcionário. 

Elas são a parte indispensável, por assim dizer, mas o diferencial começa mesmo com as soft skills, que são traços que não se aprendem na faculdade, e dependem em grande medida de um bom líder ou mentor para conduzi-los, por meio da gestão.

4. A cultura e as motivações

Até aqui já ficou claro que uma empresa precisa ter uma cultura organizacional, constituída por pontos muito claros em termos de missão, visão e valores.

Porém, isso não pode impedir que a gestão de pessoas e talentos se torne apenas algo abstrato na corporação, mas sim, um caminho para realizações coletivas e pessoais.

Isso quer dizer que se uma empresa que fabrica ou instala ar condicionado piso teto tem suas metas, os funcionários também têm as deles.

Dessa maneira, um modo diferenciado de atingir o sucesso da gestão de pessoas é saber motivar a equipe com base em promessas reais, como premiações e planos de carreira.

Então, abra um horizonte justo e acessível de bonificações e crescimento na hierarquia da empresa, e certamente isso vai gerar um engajamento real incomparável.

Considerações finais

Há muitas dicas sobre como atingir o sucesso na gestão de pessoas e talentos, mas os 4 pilares que apresentamos aqui resumem o essencial desse assunto.

Assim, com os conceitos e conselhos aprofundados, qualquer empresário ou gestor vai poder tornar sua liderança muito mais assertiva e eficiente, com isso podendo mudar a rotina e a história da empresa.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.