6 formas de monetizar aplicativos mobile

Com o crescimento constante da tecnologia em sociedade e o uso do smartphone para realizar todas as tarefas do nosso cotidiano, negar o poder dos dispositivos móveis é ser, no mínimo, ingênuo.

Visando expandir o mercado para esse público, muitas empresas passaram então a desenvolver aplicativos para oferecer seus produtos e serviços diretamente no celular do usuário.

Você está desenvolvendo um aplicativo para sua empresa e ainda não sabe como monetizar seu software? Então veja 6 possibilidades de lucrar com seu app no artigo de hoje!

  1. Banners de publicidade com Admob

A alternativa mais comum hoje é oferece um aplicativo gratuito, porém com banners de publicidade dentro dele.

Se for criada uma segmentação correta em que seus usuários recebem anúncios apenas de serviços e produtos relevantes para eles, esse método é bastante eficiente.

Você cede o espaço do seu app para a publicidade direcionada, usando o Google Admob e as empresas pagam por custo por impressão.

O Google Admob é uma ferramenta do Google para criar ads e distribuí-los na rede de aplicativos afiliados, ou seja, o Admob permite inserir ads no seu app.

Desde 2013, o Admob já gerou mais de 1 milhão pago aos desenvolvedores e há mais de 1 milhão de anunciantes na plataforma, ou seja, você nunca vai ficar sem monetização.

Nesse caso, planeje bem o local dos banners para não afetar a experiência do usuário.

  1. Vendas de produtos ou serviços

Muito comum em softwares de jogos e apps de e-commerce, outra opção é monetizar seu app vendendo produtos ou serviços dentro dele.

É possível oferecer tanto os produtos da sua loja como benefícios para o usuário que pagar, como um “boost” de jogo em troca de X reais. 

  1. Modelo Premium

O modelo Premium é uma das categorias mais comuns atualmente, pois com a mudança da interação do usuário online, os anúncios se tornaram coisas incômodas e indesejadas.

Como uma solução para isso, os aplicativos Premium são aqueles gratuitos nas app stores e que incluem anúncios, mas que dão a opção do usuário pagar um pouco a mais por uma assinatura que retire os ads da plataforma.

O principal exemplo disso é o Spotify que se tornou sucesso mundial e faz isso muito bem. O software de músicas oferece 30 dias de serviço Premium grátis como bônus para novos usuários.

Ao entregar uma parcela da experiência do app pago de forma gratuita, o usuário se acostuma com os benefícios de pagar pelo aplicativo e acaba decidindo aderir ao modelo Premium. Genial, não é?

  1. App pago na app store

Essa opção definitivamente não é para qualquer público.

Monetizar um app tornando ele pago na play store é mais indicado apenas em softwares:

  • Mais complexos de desenvolver;
  • De menor concorrência de mercado;
  • Que tiveram uma grande repercussão de lançamento na imprensa;
  • Que são de um nicho muito específico em que o público está aguardando o serviço há muito tempo.

Na maioria das vezes que o usuário paga por um app, é porque ele reconhece a dificuldade de produzir aquele software, sendo mais comum que a comunidade gamer haja assim no lançamento de um jogo.

Porém, se esse for realmente o seu caso, se prepare para divulgações intensas com mídia paga e redução drástica do número de downloads do app.

  1. Doações

Muito usado em casos de aplicativos de ONGs ou serviços de causas sociais reconhecidas, o último método é manter seu app por doações ou financiamento coletivo.

Nesse caso, é ideal que seu software já tenha mais visibilidade na mídia e defenda uma causa conhecida.

É fundamental divulgar e pedir doações, implementando plataformas como a PagSeguro no app e permitindo que o usuário doe sem burocracia.

Gostou de alguma das dicas? Então deixe seu comentário sobre qual você irá usar no seu app!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.